Corpo Eletrico



Sobre a Síndrome do Faraó

Achei um texto muito interessante que fala da relação do terapeuta com o paciente – mais especificamente com o ego do paciente. Recomendo a leitura : http://somostodosum.ig.com.br/clube/c.asp?id=35429 

Gostaria de frisar que está não é uma atitude exclusiva da terapia, mas se estende também ao sistema de ensino, onde quando um aluno fracassa, nunca é responsabilidade desse, sempre é o método que não presta, o professor que é fraco, o material é que é deficitário. As pessoas esperam que as informações sejam instaladas nos seus cérebros sem que nenhum esforço ativo maior seja feito de sua parte. Elas querem um download.  Elas acham que só porque estão pagando um curso, já estão aprendendo. Um curso de inglês, por exemplo: o aluno falta, não estuda, não faz as tarefas extra-sala, e depois de um certo tempo, óbvio, mal sabe usar o básico da língua. Então pula de curso em curso sem aprender nada, simplesmente porque a atitude nunca muda.

As pessoas, em geral, querem o automático, o fast-food, a fórmula mágica, o passivo. Mas cérebro é como músculo, se fortalece com o uso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: